14/05/2024 às 09h40min - Atualizada em 15/05/2024 às 00h00min

Falta de tecnologia explica baixa produtividade brasileira na indústria 

O cenário pecisa mudar com novas trecnologias

KAKOI COMUNICAÇÃO
Divulgação

Em um mercado cada vez mais competitivo, as indústrias precisam buscar soluções que otimizem seus processos e garantam a qualidade dos produtos. No entanto, muitas fábricas ainda operam com tecnologias obsoletas ou que dependem de intervenção humana, o que pode gerar atrasos, erros e perda de dinheiro.

Segundo dados da World Population Review, o Brasil ocupa apenas a posição 57, entre 62 países analisados sobre produtividade, com Noruega figurando com a melhor produtividade por hora, de US$ 75,08, seguida por Luxemburgo, com US$ 73,22, e Estados aUnidos, com US$ 67,32. O Brasil, por sua vez, produz, em média, US$10,78 por hora. 

Um dos exemplos de como as fábricas monitoram suas etapas de produção atualmente, RFID, com tags e sistema de rádios limitados e monitoramento 100% manual Essas soluções, já aposentadas por indústrias de ponta no restante do mundo, apresentam limitações por não permitirem a identificação de qual colaborador está envolvido nas etapas, detalhe que não permite encontrar problemas, ou seja, traz consigo diminuição da produtividade.

Marcelo Lonzetti, Diretor da ztrax e especialista em tecnologia RTLS, destaca a importância das empresas acompanharem os processos produtivos de forma automatizada, levando em conta resultados e competitividade:

“Indústrias produtivas precisam de tecnologias que entreguem soluções e não outros problemas. O RTLS (Real Time Location System) é o sistema que entrega esse tipo de solução nas fábricas europeias, chinesas e americanas, ou seja, na competição com nossas indústrias locais, já saímos perdendo. É o uso desse tipo de tecnologia que faz a indústria nacional perder competitividade”.

Processos industriais no Brasil precisam ser mais ágeis
Com essa tecnologia, as empresas passam a aferir o tempo em todas as etapas produtivas, a ponto de identificarem atrasos ou problemas, além de monitorar como está o desempenho dos colaboradores que estão em cada fase da produção. O especialista alerta que Indústrias como montadoras, onde é necessário buscar peças em estoques e depósitos, são as mais afetadas em termos produtivos dificuldades se seguirem trabalhando sem essas informações em tempo real:

“Toda linha precisa ser automatizada com as informações, quando isso é realizado manualmente, atrapalha o processo. A tecnologia monitora todo o trajeto e tempo gasto pelos colaboradores para buscar cada peça, identificando possíveis atrasos e gargalos no processo” finaliza Lonzetti.

#indústria #rtls #tecnologia


Notícia distribuída pela saladanoticia.com.br. A Plataforma e Veículo não são responsáveis pelo conteúdo publicado, estes são assumidos pelo Autor(a):
AROLDO ANTONIO GLOMB JUNIOR
[email protected]


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.