15/04/2024 às 17h04min - Atualizada em 16/04/2024 às 00h01min

Deolinda Melchior da Silva, do Povo Macuxi, da Missão Muturuca, no município de Uiramutã (RR), é a primeira indígena instituída catequista no Brasil 

Dos 19 catequistas instituídos, seis mulheres pertencem aos regionais que integram a Amazônia Legal

REPAM - BRASIL
Divulgação REPAM

 

No sábado (13), durante a 61ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que acontece em Aparecida (SP) de 10 a 19 de abril, ocorreu a instituição do ministério de catequistas a agentes de pastoral de todos os regionais do Brasil. Dos 19 catequistas instituídos, seis mulheres pertencem aos regionais que integram a Amazônia Legal (Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins). 

Entre as mulheres que receberam o ministério está a indígena do Povo Macuxi, da Missão Muturuca, no município de Uiramutã (RR), Deolinda Melchior da Silva. Ela exerce o ministério de catequistas há 42 anos junto ao seu povo, ajudando a concretizar uma Igreja com rosto indígena no bioma Amazônico. 

Presidida pelo arcebispo de Santa Maria e presidente da Comissão Episcopal Bíblico-Catequética da CNBB, Dom Leomar Brustolin, a celebração foi marcada por ser a primeira missa no Brasil na qual foram instituídos no ministério catequistas representando todos os regionais da CNBB.   

O presidente da Comissão Bíblico-Catequética afirmou que “foi uma grande a alegria em poder ter instituído, entre o grupo dos primeiros catequistas do Brasil, uma indígena com longa experiência na catequese, com uma capacidade muito grande de evangelizar”. 

“Ela mostra a grandeza da fé nessa terra e, acima de tudo, o quanto o Evangelho precisa ser inculturado e encarnado nas terras brasileiras. Para nós da Comissão, termos uma indígena, catequistas que trabalham com pessoas com deficiência, representantes de comunidades negras… Todas elas representam a beleza do Evangelho sendo inculturado em diversas realidades”, destacou Dom Leomar. 

Deolinda é catequista na Missão Muturuca, município de Uiramutã, diocese de Roraima (RR), há 42 anos, e nos últimos 15 anos coordena a catequese em sua região. A agente de pastoral indígena conta que ficou muito feliz em receber o ministério e que se sentiu fortalecida ao receber o ministério. 

“Cada vez mais a fé vai aumentando e assim vamos trabalhando, fazendo um chamado aos catequistas indígenas a seguir realizando sua missão”, afirmou. Na diocese de Roraima, ela contou que a cada ano realizam cursos de formação para catequistas e lideranças que celebram a Palavra em suas comunidades. 

A instituição no ministério de catequista de Deolinda é considerada pelo bispo de Roraima e presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica - REPAM-Brasil, dom Evaristo Spengler, como um dia histórico para a diocese e para o regional Norte 1 da CNBB. De acordo com ele, aqueles que receberam esse ministério são pessoas que preparam o povo para “serem discípulos e discípulas de Jesus Cristo, caminhando com Ele, ouvindo sua Palavra, vivendo em comunidade, se alimentando da Eucaristia e do convívio fraterno em comunidade”. 

O presidente da REPAM-Brasil, que participou do ritual de instituição do ministério de Catequista, destacou a importância dos indígenas como protagonistas da missão. “Dona Deolinda é muito importante tê-la hoje aqui, entre esses 19 catequistas selecionados em todo o Brasil, porque ela representa não só ela mesma ou o nosso Regional, mas todo povo indígena do Brasil, o povo que recebeu o evangelho a partir de missionários que chegaram da Europa e agora indígenas são protagonistas da missão. Dona Deolinda tem uma missão belíssima em Roraima, que além de ser catequista, coordena a catequese na missão no Uiramutã, o município mais indígena do Brasil, região de terra de serras, algumas comunidades de difícil acesso”, ressaltou.  

“Dona Deolinda é incansável um testemunho vivo do evangelho que se difunde em meio ao nosso povo, então louvores a Deus, agradeço a Deus pela vida de Dona Deolinda pela história da igreja de Roraima, pelo nosso Regional que tem essa história com o compromisso com e com os mais pobres da nossa história”, completa do Dom Evaristo. 

Ministério  

O ministério do Catequista foi instituído pelo Papa Francisco com o motu próprio Antiquum Ministerium, em 10 de maio de 2021. Seu papel é fundamental na Igreja, nos processos evangelizadores para os quais os bispos do Brasil estão elaborando as Diretrizes para a Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil. 

*REPAM-Brasil com informações da CNBB e do Regional Norte 1  

 

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.