21/02/2024 às 12h06min - Atualizada em 23/02/2024 às 00h02min

Cílios postiços, maquiagem e limpeza inadequada elevam riscos de blefarite, doença confundida com conjuntivite, alerta oftalmologista do H.Olhos

Enfermidade atinge pessoas de todas as idades, inclusive bebês e crianças, e é caracterizada por coceira, vermelhidão e lacrimejamento, sintomas causados pela infecção na pálpebra

Target Estratégia em Comunicação
https://www.hospitalholhos.com.br/
Freepik

Uma inflamação na borda das pálpebras e base dos cílios, conhecida como blefarite, muitas vezes é confundida com conjuntivite e, por isso, é preciso um médico para fazer o diagnóstico e indicar o tratamento correto, já que a doença, além de causar irritação crônica e desconforto visual - com obstrução das glândulas da pálpebra -, tem um impacto negativo relevante na qualidade de vida do paciente. Podendo afetar crianças e até mesmo bebês, embora seja menos comum em comparação com adultos, a blefarite geralmente é causada por uma infecção bacteriana, alergias ou dermatite seborreica e, na maioria dos casos, a higiene inadequada das pálpebras desempenha um papel)8 importante em seu desenvolvimento. O alerta vem do Dr. Luiz Brito, especialista em córnea e doenças externas do H.Olhos - Hospital de Olhos, referência em oftalmologia no Estado de São Paulo.
 

A Blefarite acontece pelo excesso de oleosidade nas pálpebras e cílios, facilitando proliferação de bactérias. Evoluindo com olho vermelho, irritação e olho seco. Como a higienização das pálpebras e cílios, é a principal estratégia no controle dessa doença, o uso de cílios postiços e maquiagem podem piorar o quadro clínico.”, explica Dr. Luiz.
 

A blefarite é uma doença crônica, que não tem cura, mas tem controle na maioria dos casos. Com o tratamento correto, é possível amenizar os sintomas e garantir uma boa qualidade de vida. “A higiene da borda palpebral é o primeiro passo. O uso de antibióticos tópicos e orais também podem ser indicados em casos específicos, assim como procedimentos de aquecimento e pressão nas pálpebras e a luz pulsada”, diz Brito.
 

Cuidados com cílios e maquiagem
Com o tratamento adequado, em média, a melhora dos sintomas acontece em aproximadamente 15 dias, mas os cuidados para o controle devem ser seguidos sempre, como lavar bem os olhos e evitar maquiagem nos cílios, por exemplo. Se fizer uso de maquiagem, prefira produtos à base de água e não de óleo, e sempre retire todos os resíduos antes de dormir, pois o contato prolongado da maquiagem com os olhos potencializa os sintomas.

 

A limpeza com água morna e shampoo neutro ou produtos específicos também ajudam a eliminar as impurezas que se depositam nas pálpebras e raiz dos cílios. O fundamental é evitar as condições dermatológicas que contribuam com o excesso de oleosidade e, principalmente, qualquer sintoma, consulte seu oftalmologista, pois pode ser preciso um tratamento específico.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.