21/02/2024 às 15h42min - Atualizada em 22/02/2024 às 00h01min

Retinoblastoma: câncer ocular afeta cerca de 400 crianças por ano no Brasil, segundo o Ministério da Saúde

Oftalmopediatra alerta para o diagnóstico precoce

Prezz Comunicação
Divulgação/Canva

Segundo o Ministério da Saúde, o Retinoblastoma representa 3% dos cânceres infantis e afeta em média 400 crianças por ano no Brasil. A doença é 100% curável, mas se não tratada, pode causar cegueira e até mesmo levar à morte.

A oftalmopediatra Giovanna Marchezine, do Hospital de Olhos de Cuiabá, ressalta a importância do diagnóstico precoce. "O retinoblastoma demanda atenção imediata devido à sua natureza agressiva." De acordo com a especialista, a doença pode ser detectada por meio do teste do olhinho, realizado durante o primeiro mês de vida e repetido ao longo dos três primeiros anos da criança. Este exame detecta diversas doenças, incluindo o retinoblastoma.

“O exame trata-se de uma projeção de luz nos olhos, em ambiente escurecido, para observação de reflexos. Não há necessidade de uso de colírios para dilatar as pupilas. Se for observado um "reflexo vermelho" na retina, como o que ocorre quando tiramos uma foto com flash, significa que as estruturas dos olhos estão transparentes e saudáveis”, afirma a oftalmopediatra.

Ela explica que este tipo de câncer ocular manifesta-se de diferentes formas, sendo a maioria dos casos unilaterais, afetando um olho, e em sua maioria, são esporádicos, com 85% dos casos não hereditários. A médica afirma que também há casos bilaterais, em que ambos os olhos são afetados, geralmente de origem hereditária. "A detecção precoce é crucial para o tratamento eficaz e para a preservação da visão e da vida da criança", enfatiza a médica.

Segundo a especialista, durante o tratamento, os tumores de pequeno porte são abordados por meio de laserterapia e crioterapia, podendo o tratamento abranger ainda sessões de radioterapia, quimioterapia ou, em casos extremos, a enucleação do olho afetado. Em fases iniciais da condição, a radioterapia frequentemente tem demonstrado eficácia promissora. "O tratamento do retinoblastoma varia de acordo com as particularidades de cada paciente. O tratamento será individualizado, levando em consideração a extensão do tumor, a idade da criança e outros fatores relevantes para garantir a melhor resposta e qualidade de vida”, explica a oftalmopediatra do Hospital de Olhos de Cuiabá (HOC).

Giovanna Marchezine ressalta a importância da conscientização sobre os sintomas, como o reflexo branco nos olhos, e a importância das consultas oftalmológicas regulares como medidas essenciais na luta contra o retinoblastoma e na promoção da saúde ocular infantil.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.