23/05/2023 às 12h36min - Atualizada em 23/05/2023 às 16h01min

Atletas encontraram na Privacy uma oportunidade de aumentar renda em meio a desvalorização de esportes menos populares

A plataforma tem sido uma das principais alternativas para fazer dinheiro e aumentar a visibilidade no meio digital

SALA DA NOTÍCIA Rodrigo Bauso
KR2 Comunicação
Caio Machado, lutador de MMA, estreou perfil na Privacy

A prática de esportes está diretamente ligada à cultura da população brasileira. Contudo, a baixa valorização de algumas modalidades, que são menos populares, e a falta de investimento nesses atletas, fazem com que busquem, cada vez mais, outros caminhos para complementar sua renda.

Nesse cenário, as plataformas de vendas de conteúdo online aparecem como uma ótima alternativa para fazer dinheiro e aumentar sua visibilidade no meio digital. No Brasil, a Privacy, maior plataforma da América Latina, exemplifica esse movimento nos perfis estreantes nas últimas semanas. 

Caio Machado é lutador de MMA e encontrou na Privacy uma alternativa de faturamento extra nos períodos sem luta. “No caso do MMA, os atletas só são pagos quando estão em competição, o que acontece, em média, de 2 a 3 vezes por ano. Enxergo a venda de conteúdo online como uma ótima forma de fazer uma renda extra sem interferir nos treinos e ainda consigo compartilhar - com o público que me acompanha - conteúdos exclusivos dos treinos e bastidores”, conta Machado.

Outro esportista que teve sua estreia recente na plataforma foi o Luis Elian, jogador profissional de vôlei da seleção brasileira e do Itambé Minas. “Eu enxergo a minha estreia na Privacy como uma oportunidade para empreender num ambiente que não é comum para mim. Acredito que a procura pelo tão desejado segundo salário é o grande motivador, contudo, estou muito confiante e empolgado para produzir conteúdos de qualidade para quem quiser acompanhar”, diz Elian.

A falta de investimentos no esporte ficou clara durante os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, após a extinção do Ministério do Esporte, em 2019. Segundo dados divulgados pelo projeto Transparência no Esporte da Universidade de Brasília, o investimento para a formação e treinamento de atletas brasileiros para a competição foi de R$ 2 bilhões, valor que foi reduzido em 47% se comparado aos R$ 3,2 bilhões destinados para o ciclo olímpico anterior.

O canoísta e profissional de MMA Fred Zecchini, há três meses na Privacy, é mais um exemplo de atleta que tem encontrado na plataforma um auxílio em meio a desvalorização e a falta de oportunidades do cenário esportivo. “Sou atleta desde os 12 anos de idade, vivo de competições e treinos, mas para manter isso tenho que dar muitas aulas, já fui fotógrafo e hoje também massoterapeuta. Meu grande sonho ainda é viver apenas como atleta e a Privacy me deu uma luz nesse sentido. Ainda sou iniciante na plataforma, mas tenho gostado dos resultados”, completa Zecchini.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.