20/10/2023 às 14h39min - Atualizada em 23/10/2023 às 00h00min

Edusp lança “Emergências Culturais”, obra que analisa mutações no setor cultural aceleradas pela pandemia

Organizado pelo antropólogo argentino Néstor García Canclini, livro é uma parceria entre Itaú Cultural e o IEA USP e será lançado na próxima quarta (25) em São Paulo

Murilo do Carmo Janelli
Foto: edusp

Analisar as transformações nas relações entre instituições, artistas trabalhadores e políticas públicas na América Latina é a proposta do livro "Emergências Culturais: Instituições, Criadores e Comunidades no Brasil e no México", organizado pelo antropólogo argentino Néstor García Canclini e lançado em coedição da Edusp com o Instituto de Estudos Avançados da USP (IEA-USP). O evento será das 10 às 13 horas desta quarta-feira (25), no Museu de Arte Moderna (MAM), no Parque Ibirapuera, na capital paulista. 

 

Haverá uma mesa-redonda com Canclini e os co-autores Juan Ignacio Brizuela, Sharine Machado Cabral Melo e Mariana Martinez Matadamas, com transmissão ao vivo pelo site Transmissões ao vivo — Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo.

 

A obra apresenta pesquisas do organizador e dos autores que foram feitas durante a pandemia de covid-19, inicialmente para abordar as mutações da indústria cultural causadas em grande parte pelos avanços tecnológicos e novos hábitos do público, mas que se aceleraram com todas as dificuldades impostas pela necessidade de isolamento social. A publicação é o quinto volume da coleção da Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência, uma parceria do Itaú Cultural e do IEA-USP. Canclini foi o titular no biênio 2021-22 da cátedra, que é um espaço de discussão interdisciplinar sobre artes, gestão cultural, academia e sociedade, nos âmbitos regional e global.

 

Entre os problemas apontados pelo organizador do livro estão os cerca de 2,6 milhões de postos de trabalho no setor cultural mundial comprometidos durante a crise pandêmica, e que ocorrem depois de décadas de mudanças em processos relacionados à cultura. São anos em que a tecnologia e novos comportamentos do público e dos próprios artistas modificaram a forma de encarar questões como propriedade intelectual, financiamento, políticas públicas, estratégias de exibição e de comunicação, além da desestabilização dos modos clássicos de produção cultural ao agravar a precariedade das condições de trabalho.

 

As pesquisas apresentam problemas, mas também mostram iniciativas que mostram uma reação dos agentes culturais. Por um lado, criadores de produções audiovisuais, música, artes visuais, teatro e literatura perderam aproximadamente 35% da arrecadação mundial de direitos somente em 2020, no primeiro ano de pandemia. De outro, setores mais bem organizados coordenam respostas via ferramentas de comunicação online como Zoom e Google Meet, com a participação de milhares de gestores, ativistas, artistas da periferia e do centro, moradores de comunidades indígenas e afro, entre outros, para elaborar uma lei de auxílio nacional no Brasil, por exemplo.

 

Além da introdução de Canclini, o livro traz as pesquisas “Pela Onda Luminosa: A Articulação em Rede a Favor da Lei Aldir Blanc no Contexto das Políticas Culturais Brasileiras”, da pós-doutoranda e gestora cultural na Funarte Sharine Melo; “Fora de Jogo? Territórios Latino-Americanos e Instituições Culturais no Brasil”, do pós-doutorando Juan Brizuela; e “México: Instituições, Monumentos e Movimentos”, de Canclini e de sua assistente de pesquisa, a antropóloga Mariana Martínez.

 

Os autores

 

Néstor García Canclini é professor-pesquisador da Universidade Autônoma Metropolitana (UAM) e pesquisador emérito do Sistema Nacional de Pesquisadores, ambos no México. O antropólogo é titular da Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência - IEA/USP.

 

Juan Ignacio Brizuela é doutor pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade no Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Prof. Milton Santos – IHAC, UFBA e pesquisador de pós-doutorado da Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência – IEA/USP.

 

Sharine Machado C. Melo é gestora cultural na Funarte São Paulo, doutora em comunicação e semiótica pela PUC-SP e pesquisadora de pós-doutorado da Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência - IEA/USP.

 

Mariana Martínez Matadamas é graduada em Antropologia Social pela Universidade Autônoma Metropolitana Iztapalapa e assistente de pesquisa do Sistema Nacional de Pesquisadores.

 

SERVIÇO

Lançamento de "Emergências Culturais: Instituições, Criadores e Comunidades no Brasil e no México"

Quando: Quarta-feira (25)

Horário: das 10 às 13 horas

Onde: Museu de Arte Moderna, Parque Ibirapuera

Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral, s/n° - Vila Mariana, São Paulo - SP


Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.