29/09/2023 às 13h27min - Atualizada em 30/09/2023 às 20h01min

Saiba por que a saúde bucal deve fazer parte do pré-natal da gestante

Coordenador do curso de Odontologia da Faculdade Anhanguera explica que doenças gengivais podem ter relação com parto prematuro

Thainá Zelante Cordeiro
Google

Considerado um momento extraordinário na vida da mulher, a gravidez gera transformações físicas, emocionais e hormonais na gestante. É nessa fase que o acompanhamento médico da mãe e do bebê é primordial para garantir uma gravidez saudável. Conhecido como pré-natal, esse período é marcado por uma série de exames preventivos que antecipam possíveis complicações e, entre todos os cuidados, como ultrassonografias e vacinação, mas a saúde bucal também deve estar no processo. 

De acordo com o coordenador do curso de Odontologia da Faculdade Anhanguera, Willian Martins Azeredo, a cartilha de Saúde Bucal da Gestante, do Ministério da Saúde, informa que os cuidados com a futura mãe e do recém-nascido, denominado como pré-natal odontológico, previne o surgimento de doenças bucais e é fundamental no desenvolvimento do paladar saudável do bebê. 

“O objetivo do pré-natal odontológico é reforçar a importância de seguir uma dieta balanceada e zero açúcar durante esse período, prevenindo doenças bucais que podem causar o nascimento prematuro do bebê, evitando também que a falta de controle impacte nos primeiros anos e até na vida adulta, como o desencadeamento do vício em açúcar. Duas avaliações são realizadas pelos dentistas neste caso: na primeira, o profissional analisa as alterações causadas na cavidade bucal da mulher, podendo solicitar tratamentos adequados e menos invasivos; e na segunda, que é focada na criança desde a gestação até a amamentação, monitora hábitos alimentares e orienta sobre o uso de chupeta e mamadeira, entre outros fatores”, explica.  

A avaliação odontológica deve ocorrer conforme solicitação do médico responsável pelo acompanhamento do pré-natal. O docente da Anhanguera explica que, na consulta, a mulher deve apresentar a caderneta da gestante atualizada. Nesse documento, constam todas as informações sobre a condição de saúde da paciente, principalmente, o campo sobre saúde bucal, que deve ser preenchido pelo dentista com os possíveis tratamentos odontológicos. 

A seguir, Willian elenca as principais alterações causadas na cavidade bucal, durante a gravidez, e que merecem atenção da futura mamãe: 

Doenças periodontais, como a gengivite, têm como maior fator de surgimento o aumento dos hormônios e a diminuição da resposta imunológica. Esse problema é causado pelo acúmulo de bactérias nos dentes, formando a placa bacteriana e irritando a gengiva. Essa inflamação causa sangramento, inchaço e, em alguns casos, dores no momento da escovação e ao passar o fio dental.  

A falta de tratamento e acompanhamento especializado pode gerar complicações na gestação, como o parto prematuro e ter relação com o baixo peso do bebê. Portanto, ao contrário do que se imagina, a mulher deve seguir com a higiene bucal e uso diário de fio dental, realizar visitas ao dentista de forma periódica e, introduzir alimentos que contribuam para a saúde dos dentes, como frutas, folhas escuras e peixes.  

Cárie ocorre devido à má escovação junto ao consumo excessivo de açúcar, causando dor, desconforto e mau hálito. Geralmente, a mulher deixa de priorizar essa etapa de higiene pessoal em decorrência das náuseas. Por isso, é recomendado substituir a escova por um tamanho menor e, em alguns casos, também vale trocar o creme dental para um sabor que seja mais suave. 

Vômito ou náuseas são comuns até o terceiro mês de gravidez e, em algumas mulheres, os sintomas podem persistir até o final da gestação. Nesse caso, o vômito pode causar consequências na cavidade bucal, provocando acidez na região da boca nesse período.   

Erosões dentárias, em decorrência de episódios de vômito/refluxo e do consumo de alimentos ácidos ou industrializados. A acidez do líquido do estômago pode danificar a superfície dos dentes, afetando sua estrutura. Em qualquer um desses casos, após a ocorrência ou ingestão de alimentos, é necessário escovar os dentes e, se possível, fazer um bochecho com enxaguante bucal. 

Sobre a Anhanguera 

Fundada em 1994, a Anhanguera oferece educação de qualidade e conteúdo compatível com as necessidades do mercado de trabalho por meio de seus cursos de graduação, pós-graduação, cursos Livres, preparatórios, com destaque para o Intensivo OAB (Ordem dos Advogados do Brasil); profissionalizantes, nas mais diversas áreas de atuação; EJA (Educação de Jovens e Adultos) e técnicos, presenciais ou a distância, visando o conceito lifelong learning, no qual proporciona acesso à educação em todas as fases da jornada do aluno. São mais de 15 mil profissionais e professores entre especialistas, mestre e doutores. 

Além disso, a instituição presta inúmeros serviços à população por meio das Clínicas-Escola, na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas. A Anhanguera tem em seu DNA a preocupação em compartilhar conhecimentos com toda a sociedade a fim de impactar positivamente as comunidades ao entorno das instituições de ensino. Para isso, conta com o envolvimento de seus alunos e colaboradores a partir de competências alinhadas às práticas de aprendizagem e que contribuem para o desenvolvimento do País. 

Com grande penetração no Brasil, a Anhanguera está presente em todas as regiões com 106 unidades próprias e 1.398 polos em todo os estados brasileiros. 

Acesse o site e o blog para mais informações.    

Assessoria de Imprensa  
Atendimento PR: Thainá Zelante Cordeiro 
E-mail: [email protected] 
Telefone: +55 11 96650-6507 


Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.