08/09/2023 às 09h05min - Atualizada em 11/09/2023 às 00h00min

“Viver em condomínio pode ser mais seguro, mas é preciso alguns cuidados” – explica advogado

Casos recentes em SP e GO acenderam o sinal de alerta

David Roberto Florim
Freepik
Nos dias atuais, viver em condomínio pode ser uma saída para quem busca mais segurança. Não à toa, o número de edificações neste sentido tem aumentado, e a busca por imóveis em ambientes cercados tem caminhado na mesma direção.
O advogado condominialista Luiz Fernando Maldonado considera que na hora da compra ou locação de casa ou apartamento em condomínio, os pais geralmente pensam na liberdade que os filhos podem ter em um ambiente assim.
- “Via de regra, todo pai e mãe pensa – ou deveria pensar – primeiro no filho. Quando isso ocorre, o raciocínio segue na direção do bem-estar da criança. E o condomínio tem essa capacidade”, explicou.
Porém, muitos síndicos tem sofrido com o desdém de pais neste sentido. Muitos pais se furtam da responsabilidade de cuidar de suas crianças, deixando-as brincarem sem qualquer supervisão. Quando as mesmas se machucam ou são alvo de algum crime, a ira desses pais geralmente recai sobre o condomínio.
- “É um fato recorrente. Eu acompanho o dia a dia de dezenas de condomínios e sei o quanto isso é prejudicial para todos. Quem perde mais é a criança, que sem supervisão, fica à mercê de mentes doentias”, ressaltou o advogado Luiz Fernando Maldonado.
Somente em Ribeirão Preto-SP são mais de 5 mil condomínios e, com frequência, notícias chegam no sentido de que algo aconteceu com crianças. Geralmente episódios de menor gravidade, como ferimentos causados durante alguma brincadeira sem supervisão.
Recentemente, um vizinho suspeito de estuprar um menino de 4 anos dentro de um condomínio em Goiânia-GO morreu em confronto com a PM. A família contou aos policiais que o autor prometeu um gato ao menino para convencê-lo de ir à casa dele. De acordo com a Polícia, exames confirmaram o abuso.
- “O que aconteceu em Goiânia-GO é um exemplo de como os pais devem supervisionar as crianças em condomínios. Recentemente, em Ribeirão Preto-SP, dois irmãos pularam de uma janela quando o Conselho Tutelar chegou para averiguar a denúncia de que não havia ninguém em casa para cuidar dos meninos. Nós sabemos que viver em condomínio pode ser uma ótima opção, mas não dá para entregar a responsabilidade de cuidar dos filhos para o síndico ou outro funcionário do condomínio, já que este tipo de situação pode terminar da pior maneira, além de configurar crime e levar à prisão”, finalizou o advogado.
 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.