26/05/2023 às 18h50min - Atualizada em 28/05/2023 às 00h00min

China é o país com maior comércio eletrônico do mundo: veja os top 10

Os chineses vendem, de forma online, quase 2,8 trilhões de dólares ao ano.

SALA DA NOTÍCIA Joaquim da Silva
REUTERS/Aly Song

Recentemente, uma pesquisa conduzida pela plataforma especialista em dados de mercado Statisa mostrou que a China possui o maior e-commerce do mundo em números de vendas. Seja no atacado online ou no varejo, o comércio online do país tem uma taxa de crescimento de 21% ao ano.

De antemão, relembrar o conceito de comércio eletrônico internacional pode ajudar a colocar em perspectiva a grandiosidade do país asiático no segmento. Trata-se da compra e venda de bens e serviços por meio da internet, seja por pessoas físicas ou por empresas.

Conforme o estudo, os chineses vendem, de forma online, quase 2,8 trilhões de dólares ao ano. Além disso, as vendas em e-commerces representam 52% do total do varejo do país.

China: mercado consumidor, exportações e mais

Alguns fatores contribuem para tais números impressionantes. Primordialmente, é possível citar:

Produção de baixo custo

A China é mundialmente conhecida por ser uma grande exportadora de diversos tipos de produtos, graças à sua mão de obra barata e eficiente. Conforme dados apurados pela “Bloomberg”, mais de 733 milhões de chineses estavam empregados em 2022. 

Com isso, os produtos lá produzidos ganham preços competitivos e, consequentemente, dominam boa parte do mercado.

População numerosa

Trata-se do país mais populoso do mundo, com mais de 1,4 bilhões de habitantes. Dessa forma, há um amplo mercado interno disponível.

Cultura do consumo

Os consumidores chineses são conhecidos por serem altamente conectados. Segundo a agência governamental China Internet Network Information Center (CNNIC), mais de 60% da população do país era usuária de internet em 2021.

Em outras palavras, são cerca de 900 milhões de internautas aptos a consumir em varejo e atacados online.

Nesse sentido, é possível concluir que o mercado consumidor chinês é numeroso e variado.

Exportação notória

Além do grande número de consumidores no mercado interno, a China é uma notória exportadora de produtos e serviços.

De acordo com a Organização Mundial do Comércio (OMC), a China é o maior exportador de bens do mundo, tendo exportado 14,3% do total mundial em 2020. Uma parte expressiva dessa porcentagem acontece graças ao comércio eletrônico.

Destaque no e-commerce chinês

Alguns pontos se destacam como grandes motivadores das estatísticas de vendas na China. Em primeiro lugar estão os sites de comércio eletrônico, que são sucesso no mundo todo.

O maior deles é o Alibaba, um marketplace que conta com uma infinidade de produtos. Eletrônicos, vestuário, autopartes, itens de decoração e até mesmo maquinários para indústrias podem ser consumidos por lá.

Vale notar, também, que o AliExpress — bastante conhecido no Brasil — faz parte do grupo Alibaba, sendo uma das mais conhecidas e lucrativas marcas da empresa.

Top 10 e-commerces do mundo

Além da China, outros países também são bem-sucedidos quando o assunto é comércio eletrônico. 

De acordo com uma pesquisa publicada pela Oberlo, os países com os maiores comércios eletrônicos, em valor de vendas anuais, é:

  1. China: US$ 2,78 trilhões;

  2. Estados Unidos: US$ 843 bilhões;

  3. Reino Unido: US$ 169 bilhões;

  4. Japão: US$ 144 bilhões;

  5. Coreia do Sul: US$ 120 bilhões;

  6. Alemanha: US$ 101,5 bilhões;

  7. França: US$ 80 bilhões;

  8. Índia: US$ 67,5 bilhões;

  9. Canadá: US$ 44 bilhões;

  10.  Espanha: US$ 37 bilhões.

Vale ressaltar, também, que apesar de diversos produtos serem amplamente comercializados na internet, alguns deles se destacam nas vendas em atacado online e varejo. 

Apesar de não existir um produto específico, eletrônicos, roupas e produtos de cuidados pessoais e itens de casa e decoração são os principais itens consumidos no comércio online mundial.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.