24/05/2023 às 11h22min - Atualizada em 27/05/2023 às 00h01min

Jogadores da Escócia se unem e mostram apoio a Vinícius Júnior

Atletas da Scottish Unity Football League, criada há 23 anos para combater o racismo e o preconceito pedem por maior proteção ao atacante brasileiro do Real Madrid

SALA DA NOTÍCIA PMPR
Jogadores da SUFL com mensagens de apoio e solidariedade a Vinícius Júnior (Foto: Divulgação)
Um apelo por novas regras contra o racismo no futebol espanhol veio da Escócia. As autoridades espanholas do futebol foram desafiadas a adotar o código de responsabilidade objetiva da UEFA e da EPL (Premier League inglesa), que responsabiliza os clubes pelo comportamento dos seus adeptos.

No mês passado, os jogadores da Scottish Unity Football League (SUFL), liga criada há 23 anos para combater o racismo e o preconceito, pediram mais apoio e proteção a Vinícius Júnior em um dos inúmeros casos sofridos por ele na Espanha.
A SUFL destacou suas próprias políticas e regras e cada clube membro, para aderir à liga a cada temporada, deve assinar uma declaração de que seu clube é "aberto a todos e que o único critério de seleção é a capacidade do indivíduo, o caráter do indivíduo e o equilíbrio coletivo da equipe".

Caso um jogador for expulso por uma ofensa que envolva racismo ou sectarismo, ele receberá uma suspensão imediata de três meses. Eles não poderão voltar à liga a menos que escrevam pedindo desculpas aos ofendidos. Dependendo da gravidade da situação, eles podem ser expulsos definitivamente da liga.

A SUFL apelou às autoridades do futebol espanhol, nomeadamente a La Liga, a liga profissional espanhola, e a Federação Espanhola de Futebol para que implementem o código de responsabilidade objetiva com carácter de urgência, convoquem uma assembleia geral extraordinária e procurem obter o acordo dos membros.

O vereador local, Abdul Bostani, que também é diretor-gerente da equipe escocesa Glasgow Afghan United e ex-presidente da SUFL, falou sobre o assunto.

"O abuso contínuo de Vinicius Junior deve parar. É totalmente inaceitável o que este jovem tem de suportar no seu local de trabalho. Instamos as autoridades do futebol espanhol a convocarem agora uma reunião extraordinária para procurar adotar o código de responsabilidade ‘Strict Liability’ (‘Responsabilidade Estrita’ em tradução livre) objetiva da UEFA. Os clubes espanhóis parecem não ter objecções a aderir aos seus padrões quando jogam na Europa, o que pareceria estranho se se opusessem a isso no próprio país”, diz Bostani.


A ‘Strict Liability’ é uma norma/lei atualmente defendida pela UEFA para combater comportamentos ofensivos através de um sistema de sanções que pode incluir a perda de pontos do campeonato, a perda de jogos, a retirada de licenças, a proibição de venda de bilhetes aos adeptos e o fechamento de seções da arena ou mesmo de todo o estádio.

Nos últimos dez anos, muitos clubes foram punidos sob o esquema quando seus torcedores se comportaram mal em partidas europeias. Em 2014, a federação inglesa introduziu a regra depois que ativistas pressionaram após um desfile de incidentes racistas, homofóbicos e antissemitas que envergonharam o futebol.

“O dano reputacional ao futebol local e o próprio país também é muito grande. Tenho amigos na Espanha que estão revoltados com a consistência do racismo em relação ao Vinicius. Lamentavelmente, o preconceito existe em muitas, senão em todas as partes do mundo. A nossa própria Liga da Unidade foi uma reação ao reconhecimento de que também existe aqui na Escócia. Acreditamos que a grande maioria do povo espanhol também é como os escoceses, pessoas boas que se opõem ao racismo.  É tempo de ouvir a voz do povo espanhol acima da ignorância de uma turba racista barulhenta que descredibiliza o seu grande país e os seus maravilhosos cidadãos”, completa Abdul Bostani.
Uma das sugestões é chamar a adoção do código de responsabilidade ‘Strict Liability’ objetiva pela Espanha: "Lei Vinícius".
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.