22/06/2023 às 13h57min - Atualizada em 26/06/2023 às 00h02min

Heterossexualidade compulsória: entenda esse conceito que limita a liberdade e a expressão individual das pessoas

Especialista Fábio Borba explica detalhes desse problema que tem grandes impactos na nossa sociedade

SALA DA NOTÍCIA Poletto Comunicação
 

Uma das bases do desenvolvimento da sociedade é a imposição de normas e padrões que determinam como devemos agir e pensar. Algumas dessas determinações dizem respeito à sexualidade das pessoas, impondo a heteronormatividade como o único caminho e o correto a se seguir. Essa pressão social pode desencadear diversos problemas como é o caso da heterossexualidade compulsória. 

“Quando olhamos para a orientação sexual conseguimos observar que existe um padrão pré-estabelecido que indica a heterossexualidade como o correto a se seguir. Sendo assim, tudo que foge desse caminho é considerado errado e é constantemente invalidado”, comenta o psicólogo Fábio Borba, especialista em sexualidade e relacionamentos. 

O especialista explica que devido a essa pressão social muitas pessoas desenvolvem ou melhor reproduzem a heterossexualidade compulsória e isso pode desencadear diversos problemas. “Para se sentirem aceitos e terem a sensação de pertencimento, essas pessoas lutam diariamente contra suas vontades e orientação sexual, reproduzindo de forma compulsórias comportamentos, como entrar em relacionamentos para provar sua heterossexualidade". explica. 

É preciso se atentar aos sinais e trabalhar o autoconhecimento constantemente, nesse processo é possível identificar os seus verdadeiros desejos e entender quais comportamentos realmente condizem com a personalidade e vontade de cada um. É importante se autovalorizar e tirar o peso da validação do outro, diminuindo as expectativas e frustrações. 

“Pessoas que se identificam como LGBTQIAPN+ podem sentir-se compelidas a esconder sua verdadeira orientação sexual ou identidade de gênero, optando em muitos casos sendo obrigadas por assumir relacionamentos heterossexuais ou até mesmo se casar com alguém do sexo oposto devido à pressão social e/ou familiar”, comenta Borba. 

A heterossexualidade compulsória refere-se à pressão social e cultural, um aspecto de cobrança que pode levar a um conflito interno significativo e à negação de sua verdadeira orientação sexual, desvalidação de desejos.  Além disso, pode causar estresse, ansiedade, depressão, baixa autoestima e problemas de saúde mental.

“Lidar com a heterossexualidade compulsória pode ser extremamente desafiador e prejudicial para o bem-estar emocional e psicológico das pessoas envolvidas. Por isso é importante que essas pessoas tenham acesso ao apoio e aos recursos necessários para explorar e entender sua orientação sexual e validar seus desejos de maneira saudável e segura”, finaliza Fábio. 

 

Sobre o autor: psicólogo clínico, formado pelo Centro Universitário São Camilo e Pós-Graduado em Gerontologia, Sexualidade Humana com Atualização em sexualidade, identidade de gênero e orientação sexual pelo Instituto de Psiquiatria – HCFMUSP, Aprimoramento em Terapia de Casal e Relacionamentos com trabalhos realizados na área da psicologia social, sexualidade e psicoterapia.

 

Informações à imprensa - Fábio Borba

Alexandre Poletto (11) 9 3932-2834  
[email protected]

Mayara  Rodrigues (11) 9 8526-1920
[email protected]    


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.