22/06/2023 às 14h49min - Atualizada em 23/06/2023 às 00h01min

Exames oftalmológicos a partir do nascimento ajudam no tratamento de doenças oculares

SALA DA NOTÍCIA SANTA CASA DE MAUÁ
DIVULGAÇÃO
Como em qualquer patologia, quanto mais cedo um diagnóstico ocorrer maiores serão as chances de cura. E com a saúde dos olhos não é diferente, especialmente em crianças. De acordo com o oftalmologista Fernando Naves, do Hospital Santa Casa de Mauá, nos bebês e crianças, a genética e a hereditariedade são alguns dos fatores que colaboram para as doenças oculares. 

“A maturidade da visão é concluída na primeira década de vida e, nesse período, as alterações não tratadas geram implicações para toda a vida. Por isso, o diagnóstico precoce é essencial e permite tratamentos com chances elevadas de cura”, explica o especialista.

A prematuridade e as infecções transmitidas na gestação são algumas das causas de alterações e, por essa razão, o teste do olhinho ou do reflexo vermelho é essencial e deve ser realizado nas primeiras 72 horas de vida. O exame permite fazer uma triagem de doenças oculares graves, como catarata e glaucoma congênita e retinoblastoma.
Se os exames iniciais apontarem alterações visuais, as visitas ao oftalmologista devem ocorrer a cada seis meses e, caso contrário, uma vez por ano com a finalidade de acompanhar o desenvolvimento visual, os movimentos, o alinhamento ocular e a fixação, além de análise da pálpebra, da conjuntiva, da córnea, da íris e da pupila.

“Muitos dos problemas de visão na infância estão ligados a erros refrativos, que precisam ser corrigidos para não levar à ambliopia - falha no desenvolvimento neurológico da visão. O estrabismo também precisa ser tratado ainda na infância”, detalha o médico Fernando Naves.

Até a alfabetização, alguns dos exames clínicos ocorrem por meio de brinquedos, lanternas, tabelas, desenhos e com equipamentos próprios. Entre outros exames também estão o teste de acuidade visual e de Teller, potencial visual evocado, motilidade ocular, refração, exame do retinoscópio, avaliação das pálpebras, dos anexos oculares e o exame de fundo de olho.

Se entre os intervalos de visita ao oftalmologista a criança reclamar de dor de cabeça ao final do dia, apertar os olhos para enxergar, esfrega-los muitas vezes, aproximar objetos para enxergar melhor, apresentar queda no rendimento escolar, dificuldades para ler e de se concentrar, sensibilidade à luz, lacrimejamento excessivo ou olhos vermelhos, as consultas devem ser antecipadas, pois a criança pode precisar de óculos.

O Hospital Santa Casa de Mauá está localizado na Avenida Dom José Gaspar, 1374 - Vila Assis - Mauá - fone (11) 2198-8300. https://santacasamaua.org.br/ . 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.