20/06/2023 às 19h36min - Atualizada em 21/06/2023 às 00h00min

Mulheres procuram cada vez mais centro de treinamento de jiu-jitsu para condicionamento físico, saúde emocional e defesa pessoal

Homens e mulheres treinam juntos e se ajudam no desenvolvimento da chamada arte suave

SALA DA NOTÍCIA Digital Fisher Comunicação e Marketing
Pollyanne Vasconcelos é atleta do mestre Kleber Silva, no Recife/PE - Foto: Divulgação
O jiu-jitsu é uma arte marcial milenar, bem como uma atividade física intensa que melhora a resistência, a força muscular, a flexibilidade e até questões comportamentais, como disciplina e organização.

"As mulheres que praticam jiu-jitsu geralmente experimentam uma melhora na condição cardiovascular, aumento da coordenação motora e tonificação muscular", explica o professor de artes marciais e mestre em jiu-jitsu faixa preta 2º grau, Kleber Silva, da equipe Nordeste Fight.

A prática regular do jiu-jitsu ajuda a reduzir o estresse e a ansiedade. O foco nas técnicas e a liberação de endorfina durante o exercício físico proporcionam uma sensação de bem-estar e alívio do estresse diário.

"A mulher tem várias jornadas: tarefas de casa, cuidar da família e o mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Para muitas mulheres, o desenvolvimento de uma arte marcial é um escape para o estresse", informa.

Máxima do Jiu-Jitsu: melhor saber e não precisar, do que precisar e não saber

DEFESA PESSOAL - O jiu-jitsu é também uma arte marcial eficaz que se concentra em técnicas de defesa pessoal, permitindo que as mulheres se defendam em situações de perigo.

"Aprender jiu-jitsu aumenta a confiança e fornece habilidades práticas para se protegerem", complementa o mestre Kleber Silva.

O objetivo do jiu-jitsu é controlar o adversário até o mesmo se render. As principais técnicas são:  quedas, rolamentos, alavancas, estrangulamento e torções.

Empoderadas dentro e fora do tatame

O jiu-jitsu ajuda as mulheres a se sentirem empoderadas, tanto fisicamente quanto mentalmente. Ao dominar técnicas e superar desafios, as praticantes de jiu-jitsu desenvolvem uma maior autoconfiança e autoestima, o que  se estende para outras áreas de suas vidas.

É importante ressaltar que cada pessoa tem suas próprias razões e motivações para praticar jiu-jitsu.

"Algumas mulheres podem estar motivadas apenas em melhorar o condicionamento físico, enquanto outras podem estar mais focadas na autodefesa", explica mestre Kleber.

O jiu-jitsu oferece benefícios multifacetados que podem se adaptar aos diferentes objetivos e necessidades das mulheres. Ao pesquisar uma academia ou centro de treinamento de artes marciais, é importante a aluna procurar saber a idoneidade do professor que estará ensinando as técnicas. Além disso, o professor deve ser registrado nos órgãos que regulamentam o jiu-jitsu (federações, confederações e associações).

"O jiu-jitsu trouxe autoconfiança e empoderamento para minha vida", diz atleta

Pollyanne Vasconcelos, 32 anos, corretora de seguros, começou a treinar jiu-jitsu aos 29 anos, com a intenção inicial de defesa pessoal. Hoje, é atleta de jiu-jitsu e compete na categoria de faixa azul adulto master 1 até 69 quilos, já contabilizando 15 torneios locais, regionais e nacionais, busca viver e repassar princípios de respeito, ética, humanidade e crescimento pessoal para o próximo.

Pollyanne Vasconcelos relata as principais mudanças em sua vida com o aprendizado do jiu-jitsu:

"Socialização, autoconhecimento, empoderamento, disciplina e dedicação, além de se posicionar com mais confiança diante das situações difíceis do cotidiano ", elenca.

Pollyanne Vasconcelos tem o jiu-jitsu como filosofia de vida - Foto: Divulgação

Motivação - o seu marido, Argus Andrade, 33 anos, também corretor de seguros, se sentiu motivado a participar dos treinos de jiu-jitsu, após sua esposa começar a treinar e, hoje, é campeão na categoria faixa branca 4 graus até 88 quilos pelo Salvador Fall International Open, que aconteceu em maio na capital da Bahia. Amor pelo jiu-jitsu une ainda mais o casal, "parceria fora e dentro dos tatames", relata Pollyanne.

Atualmente, Pollyanne divide parte do seu tempo ao aprendizado técnico e teórico da arte suave, visando competir e, futuramente, se tornar uma professora e referência no esporte. A atleta tem consultoria em educação física com Elton Alves e na parte de nutrição com Júlia Acioli.

Em setembro próximo, Pollyanne Vasconcelos, disputará o campeonato sul-americano de jiu-jitsu, em São Paulo. Já agora em julho, concorrerá no Campeonato da Federação de Jiu-jitsu do Estado de Pernambuco (FJJPE)

Mais informações sobre jiu-jitsu:
@bjjnefight.klebersilva
Fone: 81 9.8604.8920

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.