19/06/2023 às 22h56min - Atualizada em 20/06/2023 às 00h00min

A massa muscular como prevenção de inflamação no corpo

Conheça os malefícios da inflamação corporal e como a massa magra influencia para evitar os riscos

SALA DA NOTÍCIA Roneia Forte Assessoria

A inflamação é uma resposta natural do sistema imunológico do corpo a lesões, infecções e outras ameaças à saúde. No entanto, a inflamação crônica pode ser um problema sério, pois tem sido associada a várias doenças crônicas, como doenças cardíacas, diabetes tipo 2 e câncer. Por outro lado, ter uma boa massa muscular pode ajudar a prevenir a inflamação crônica e promover uma boa saúde geral.

Antes de explorar como a massa muscular pode ajudar a prevenir a inflamação, é importante entender o que é a inflamação crônica e como ela pode afetar a saúde.

O médico em endocrinologia esportiva, Dr. William Hafemann Viana, explica que a inflamação crônica ocorre quando o sistema imunológico do corpo está constantemente ativado, mesmo quando não há uma ameaça real à saúde. Isso pode levar a danos nos tecidos e aumentar o risco de doenças crônicas. A inflamação crônica também pode ser silenciosa, o que significa que pode ocorrer sem sinais ou sintomas óbvios.

Felizmente, há coisas que podemos fazer para ajudar a prevenir a inflamação crônica e promover uma boa saúde geral. Uma dessas coisas é aumentar a massa muscular.

Aqui estão algumas maneiras pelas quais a massa muscular pode ajudar a prevenir a inflamação crônica:

Aumenta a sensibilidade à insulina: A massa muscular é um tecido metabolicamente ativo que pode ajudar a regular os níveis de açúcar no sangue e melhorar a sensibilidade à insulina. Isso pode ajudar a prevenir a inflamação crônica associada ao diabetes tipo 2.

Reduz a gordura corporal: “Ter uma massa muscular adequada pode ajudar a reduzir a gordura corporal, especialmente a gordura visceral. A gordura visceral é a gordura que se acumula em torno dos órgãos internos e está associada a um aumento do risco de doenças crônicas, incluindo a inflamação crônica.” destaca o Dr. William Hafemann Viana.

Aumenta a produção de antioxidantes: A massa muscular é capaz de produzir antioxidantes, que ajudam a proteger as células do corpo contra o estresse oxidativo e a inflamação crônica.

Ajuda a regular as citocinas: As citocinas são proteínas que desempenham um papel importante na inflamação. A massa muscular pode ajudar a regular as citocinas, reduzindo a inflamação crônica.

Além disso, ter uma boa massa muscular pode ajudar a melhorar a mobilidade e a qualidade de vida geral, o que pode ajudar a reduzir o estresse e a inflamação no corpo.

Aqui estão algumas maneiras de aumentar a massa muscular:

Treinamento de força: O treinamento de força é uma forma eficaz de aumentar a massa muscular. Tente incorporar exercícios de peso livre, como agachamentos, levantamento terra e flexões, em sua rotina de exercícios.

Proteína adequada: A proteína é importante para a construção e reparação muscular. Certifique-se de incluir fontes saudáveis de proteínas em sua dieta, como carne, peixe, ovos, feijão e nozes.

Sono adequado: O sono adequado é importante para a recuperação muscular. Tente dormir de 7 a 9 horas por noite.

Redução do estresse: O estresse crônico pode levar à inflamação crônica. Tente reduzir o estresse em sua vida, incorporando técnicas de relaxamento, como meditação ou yoga, em sua rotina diária.

“É importante lembrar que, embora a massa muscular possa ajudar a prevenir a inflamação crônica, ela não é a única solução. É importante seguir uma dieta saudável e equilibrada, evitar fumar e limitar o consumo de álcool para promover a saúde geral, além de ser fundamental o acompanhamento de um médico nutrólogo e endocrinologista. Lembre-se sempre de consultar um profissional de saúde antes de iniciar qualquer nova rotina de exercícios ou dieta.” Finaliza o Dr. William Hafemann Viana.


 

Dr. William Hafemann Viana CRM: 101.602

Médico em endocrinologia e metabologia esportiva. Com formação em Medicina pela Fundação André Arco Verde - Faculdade de Medicina de Valença, ele é dedicado a ajudar seus pacientes a alcançarem uma saúde ótima por meio do diagnóstico, tratamento e prevenção.

Formação Acadêmica:

  • Graduação em Medicina: Fundação André Arco Verde – Faculdade de Medicina de Valença
  • Pós-graduação Lato Sensu em Endocrinologia e Metabologia: IPEMED/SP

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.