29/05/2024 às 11h50min - Atualizada em 31/05/2024 às 00h01min

HCN se destaca como referência em gestação de alto risco

Com serviços de saúde especializados, a unidade é crucial para garantir a saúde e o bem-estar das gestantes e dos recém-nascidos

ECCO - Escritório de Consultoria e Comunicação
[email protected]
Cristiano Martins/IMED

 


Por definição, o termo ‘mortalidade materna’ significa o óbito de uma mulher durante a gestação ou em até 42 dias após o término da gestação, independentemente da duração ou da localização da gravidez, sendo causado por qualquer fator relacionado ou agravado pela gravidez, ou por medidas tomadas em relação a ela.

Todos os dias, cerca de 830 mulheres morrem em todo o mundo por complicações relacionadas à gravidez ou parto. Para alertar a sociedade sobre a importância de debater o tema e promover políticas públicas que garantam o bem-estar das gestantes e seus bebês, o dia 28 de maio foi instituído como Dia Nacional da Redução da Mortalidade Materna.

Referência em obstetrícia e gestação de alto risco, o Hospital Estadual do Centro-Norte Goiano (HCN), unidade do governo de Goiás em Uruaçu, conta com Centro Obstétrico, UTI Pediátrica e Neonatal, a fim de garantir acesso à assistência em saúde e o melhor atendimento para as gestantes e recém-nascidos dos 60 municípios que integram a macrorregião do centro-norte do estado.

“Por se tratar de uma maternidade que trabalha com a gestação de alto risco, trabalhamos em equipe na assistência às gestantes, identificando possíveis complicações que venham acontecer nesse período da gestação, do trabalho de parto e pós-parto, a fim de monitorar e diminuir os riscos para essa gestante e para o seu bebê. Nesse momento tão importante que é a gestação, é importante assegurarmos os pacientes e orientá-los com as devidas informações”, afirma Juliana Liegio, coordenadora de enfermagem do Centro Obstétrico do HCN.

Foi o caso da paciente Julyanna Mendes, mãe da Bárbara: “busquei o HCN pelo fato de saber que aqui existe uma metodologia de parto humanizado e uma estrutura capaz de nos acolher e nos deixar seguros em relação ao parto. Quando ainda estava grávida, visitamos o hospital através do projeto Mãe que Cuida e conheci os quartos, a equipe multiprofissional e todo o processo da gestação foi explicado durante a visita, e tudo aconteceu realmente conforme previsto quando chegou a hora do parto”.

Centro Obstétrico do HCN
O Centro Obstétrico do HCN possui equipe especializada para atendimento de gestantes e recém-nascidos de alto risco e conta com um Pronto-Socorro dedicado à assistência de gestantes e puérperas, além de atender casos ginecológicos e oncoginecológicos, garantindo a individualidade de cada mulher e humanização no atendimento.
“Grande parte das complicações indesejadas que surgem durante a gestação estão associadas a um pré-natal inadequado. Por isso, buscamos sempre proporcionar um atendimento humanizado para as gestantes, com um acompanhamento de pré-natal que culmine em um parto e um puerpério da melhor forma possível”, ressalta a Drª. Elbia Maria de Sousa, médica ginecologista e obstetra do HCN, unidade administrada pelo Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento - IMED.

Parto sem dor

O HCN conta também com o projeto Parto Adequado que é um método que permite partos naturais (os mais recomendados) sem dor. Ao contrário da anestesia geral, que induz um estado de inconsciência, a peri walking envolve a administração de anestésicos na medula espinhal, de uma forma que resulta na redução significativa da sensação de dor, mas mantém a sensibilidade e, na maior parte dos casos, a quase totalidade da força motora nas pernas, abdome e períneo. A paciente permanece ativa, caminhando e ajustando sua posição conforme necessário, o que é extremamente benéfico já que a movimentação auxilia no progresso do parto.
 
Projeto Caren

Além do projeto Parto Adequado, o HCN conta com a ferramenta de Classificação de Atenção ao Recém-Nascido – Caren, uma Inteligência Artificial (IA) que visa informar e orientar sobre o nível de cuidado necessário para os bebês, reduzindo o risco de mortalidade infantil, garantindo que os recém-nascidos recebam os cuidados adequados e personalizados para suas necessidades específicas.

Em outubro de 2023, o projeto-piloto foi iniciado no hospital e, desde então, 852 recém-nascidos na unidade já foram avaliados pela inteligência artificial Caren, que proporciona auxílio na tomada de decisões e priorização do atendimento. Assim que os bebês nascem, a equipe médica do hospital informa alguns dados para a IA, que faz a classificação de cada caso e, logo em seguida, gera orientações para cuidados de acordo com os dados do nascimento. Durante a internação do recém-nascido ele é monitorado e acompanhado pela equipe multidisciplinar e no momento da alta são repassados plano de cuidados e orientações para familiares.


Assessoria de Comunicação do HCN
 

Notícia distribuída pela saladanoticia.com.br. A Plataforma e Veículo não são responsáveis pelo conteúdo publicado, estes são assumidos pelo Autor(a):
ECCO Escritorio de Consultoria em Comunicação Ltda
[email protected]


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.