24/05/2024 às 18h13min - Atualizada em 26/05/2024 às 00h00min

Bancada Feminista do PSOL aciona corregedoria da polícia e MP

CATA - VENTO COMUNICA
domínio público
Na terça-feira, na ALESP, a tropa de choque da polícia militar reprimiu estudantes secundaristas que protestavam com o PL das escolas cívico-militares e ao menos oito foram detidos, sendo dois menores de idade e ainda, alguns ficaram feridos. A Bancada Feminista do PSOL, mandato coletivo formado por cinco mulheres negras na Assembleia Legislativa de São Paulo, já entrou com uma denuncia na corregedoria da polícia militar para investigar os agentes envolvidos na ação violenta e também, o Ministério Público foi acionado.

A Bancada Feminista do PSOL esteve no 27º DP para acompanhar a prisão dos estudantes na noite de terça-feira. Eles permanecem sob custódia. “Estivemos lá para garantir que os estudantes fossem soltos já que nenhum crime foi cometido,  eles apenas estavam exercendo o direito de se manifestar pacificamente contra esse projeto nefasto”. afirma Paula Nunes codeputada da Bancada Feminista.

“Totalmente excessiva a violência da tropa de choque, contra os estudantes eles não são inimigos, lutar por seus direitos não é crime e a ALESP é a casa do povo. O protesto deles é legitimo já que não querem as escolas quarteis”, afirma Sirlene Maciel que é professora e também codeputada da Bancada Feminista.

Além de agredidos com cassetetes, sprays de pimenta e muita truculência, oito estudantes permaneceram sob custódia até a manhã de quarta-feira (22/5).
 

Notícia distribuída pela saladanoticia.com.br. A Plataforma e Veículo não são responsáveis pelo conteúdo publicado, estes são assumidos pelo Autor(a):
JULIANA MATHEUS
[email protected]


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.