23/05/2024 às 17h20min - Atualizada em 24/05/2024 às 00h01min

Remédios vencidos: especialista explica o que fazer com medicamentos fora da validade

Jogar remédios no lixo ou esgoto oferece riscos à saúde e ao meio ambiente

NM
Divulgação

Existe uma farmácia no Brasil para cada 3.300 habitantes; o país está entre os dez que mais consomem medicamentos no mundo, segundo dados do Conselho Federal de Farmácia. Entre os remédios mais ingeridos estão: anticoncepcionais, analgésicos, descongestionantes nasais, anti-inflamatórios e alguns antibióticos que não precisam de receita médica. A tradicional ‘farmacinha’, é comum na casa dos brasileiros, principalmente para lares que possuem crianças e idosos.  

Com acesso facilitado aos remédios, o grande desafio do país é fazer o descarte correto dos medicamentos em desuso ou fora do prazo de validade. Aproximadamente 20% de todos os remédios que utilizamos são descartados de forma irregular. O lixo convencional ou rede de esgoto é o destino da maioria destas substâncias químicas.  

Bárbara Arruda, docente do curso de Farmácia da Faculdade Anhanguera, destaca que o descarte inadequado pode afetar o solo, águas superficiais ou lençóis freáticos. “Os medicamentos contêm substâncias químicas ativas que podem se dissolver na água e contaminar rios, lagos e aquíferos. Isso pode afetar a qualidade da água potável e prejudicar os ecossistemas, além do fato de que o descarte inadequado de antibióticos no esgoto pode contribuir para o desenvolvimento de bactérias resistentes no meio ambiente, o que pode representar uma séria ameaça à saúde pública”, salienta. 

Cada quilo de medicamento descartado incorretamente pode contaminar até 450 mil litros de água. As substâncias químicas dos medicamentos podem transformar-se em substâncias tóxicas e afetar o equilíbrio do meio ambiente.  

A especialista listou algumas orientações de como fazer o descarte correto dos medicamentos vencidos e aqueles que não serão mais utilizados pelo paciente:

  • Procurar a farmácia ou drogaria mais próxima de sua casa e fazer a entrega de todo tipo de remédio em desuso, sejam comprimidos, cápsulas ou xaropes. O estabelecimento irá encaminhar esses materiais ao seu destino sem risco de contaminação;  

  • Nos hospitais e postos de saúde é possível fazer a entrega de agulhas ou lancetas usadas no tratamento de diabetes ou outras doenças. É importante armazenar esses materiais em um recipiente rígido que possa ser lacrado como, garrafa pet ou lata; 

  • As bulas e caixas podem ser destinadas diretamente pelos consumidores para a reciclagem junto ao lixo convencional; 

  • É necessário estar atento a validade e as condições de armazenamento dos medicamentos para ter garantida da sua eficácia. Tomar medicamentos vencidos pode levar a doenças mais graves e ao aumento de resistência das bactérias; 

  • A farmácia caseira não pode substituir a consulta com o médico que é o profissional responsável pela prescrição de medicamentos; 

No Brasil, já existem leis que regulamentam o descarte de remédios pela indústria e estabelecimentos de saúde, como as clínicas, hospitais e drogarias. Os medicamentos utilizados em casa passam agora também a ter uma política estabelecida. Foram dez anos de discussão, até que em julho do ano passado foi regulamentado em todo país o Decreto nº 10.388/2020. Poderá ser considerado crime ambiental o não cumprimento das regras de descarte de medicamentos domiciliares. 

Sobre a Anhanguera 
Fundada em 1994, a Anhanguera faz parte da vida de milhares de alunos, oferecendo educação de qualidade e conteúdo compatível com as necessidades do mercado de trabalho, em seus cursos de graduação, pós-graduação e extensão, presenciais ou a distância. Em 2023, passou a ser a principal marca de ensino superior da Cogna Educação, com o processo de unificação das instituições, visando o conceito lifelong learning, no qual proporciona acesso à educação em todas as fases da jornada do aluno. A instituição ampliou seu portfólio, disponibilizando novas opções para cursos Livres; preparatórios, com destaque para o Intensivo OAB (Ordem dos Advogados do Brasil); profissionalizantes, nas mais diversas áreas de atuação; EJA (Educação de Jovens e Adultos) e técnicos.  Com grande penetração no Brasil, a Anhanguera está presente em todas as regiões com 112 unidades próprias e 1.398 polos em todo o país. A instituição presta inúmeros serviços à população por meio das Clínicas-Escola, na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Anhanguera tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais. Acesse o site e o blog para mais informações.        


Notícia distribuída pela saladanoticia.com.br. A Plataforma e Veículo não são responsáveis pelo conteúdo publicado, estes são assumidos pelo Autor(a):
NICHOLAS MONTINI PEREIRA
[email protected]


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://jornalamanhecer.com.br/.